sábado, 7 de abril de 2007

Eng:????????


Ó Sr. Engenheiro José Sócrates desculpe trata-lo assim posso estar a ofender Vossa Excelência tal a polémica criada á volta das suas habilitações.
Faça-me um favor esclareça o Povo que o elegeu que não foi o meu caso porque a mim o Sr. Não me enganou.

Sabe eu até penso que o Sr. Alimenta esta incerteza para entreter o Povo, já que enquanto se fala neste assunto esquece-se os verdadeiros atropelos que o Sr. Tem feito com Portugal e os Portugueses.

O Sr. Que está ao seu lado na foto também já podia ter tomado uma atitude.

5 comentários:

Anónimo disse...

Politiquices!
Afinal que há para explicar?
Eh obrigatório ter canudo?
Não. Há gente boa sem ser DOUTOR ou ENGENHEIRO. Será???
JCA

CARLOS PROENÇA disse...

Desculpem lá, o homem até podia ser trolha para mim se tivesse competência não me importava nada, eu não gosto é de comer gato por lebre.

Anónimo disse...

Oh caro Carlos Proença, cada um come do que gosta. Será que mudaria de opinião se o homem fosse da Trofa ????
Discutesse tudo e vai parar na incompetência. Afinal como consegue abalizar esse sintoma?
Não sou Doutor e também sei avaliar que o homem (Sócrates) e a sua equipa alguma coisa tem feito de bom e olhe que a minha opinião não é única. Claro que me atinge com as suas decisões, mas não sou tão severo a catalogá-lo como trolha e outros epítetos que não vejo certos iluminados catalogarem outros que bem merecem esse cognome.
Deixe o homem explicar-se e depois no sossêgo desta cidade de simplórios, como eu, tire as suas conclusões. Falar por falar não vale a pena. - JCA

CARLOS PROENÇA disse...

Por fim o Sr. Primeiro Ministro lá veio explicar a sua situação académica ao povo.
Muito bem não fez mais que a sua obrigação, ficou-me apenas a duvida se fosse um qualquer funcionário a falsificar o seu certificado e fosse descoberto á posteriori quais seriam as consequências?

Anónimo disse...

Caro Senhor
O assunto já deu o que tinha a dar. Hoje o Sr. Presidente Carlos Pinto explicou muito bem o motivo das duas datas, dos telefones diferentes, etc. etc.
Afinal falsificação de quê? Provas há? Só ficou por provar se houve ou não facilidades (favorecimento) em tirar o curso. O resto são maldicências.
Gosto do seu trabalho que aqui apresenta no seu blog, mas este caso com a insistência e forma parcial, como o trata não é abonatório.
JCA