domingo, 1 de fevereiro de 2009

Sondagem


Acabou a sondagem em que eu perguntava se Carlos Pinto deve ou não candidatar-se a um novo mandato.

Houve 179 votos, 100 não e 79 sim.

Confesso que como defensor do sim, não foi um resultado muito agradável.

Não sendo o resultado que esperava também não foi de todo uma surpresa devido a campanhas de descrédito lançadas contra Carlos Pinto nos últimos tempos.

Como já disse noutra altura o povo de quando em vez tem memória curta e já se esqueceu do que era a Covilhã antes de Carlos Pinto.

Continuo a achar que Carlos Pinto se deve candidatar, agora mais depois de ver que o PS está a prever candidatar António Carriço.

Parece que já se esqueceram doa últimos quatro anos em que o PS ganhou a Autarquia.

3 comentários:

À atenção da Telma disse...

Quero aqui dar um contributo, que no meu entender poderá resolver o problema da crise do PS relativamente ao candidato à CMC. Julgo que poderá ser escolhido de entre os membros do CA do Hospital da Covilhã (casteleiros, gomes e companhias), pois são todos pessoas sérias e cumpridoras do prometido.
Ainda há dias li que o primeiro bébe proveta nascia em 2010 na Covilhã, e fiquei a pensar se não seria mais um logro como foi o das motas para funcionarios... Mas não! Confirmo que as promessas efectuadas por estes senhores são todas para cumprir (como as de todos os xuxas)e se forem a este link, poderão ver as motas para os funcionarios escolherem, como a que o proprio presidente do CA escolheu.
Telma, tens o caminho facilitado, ora diz lá que não...
http://www.urbi.ubi.pt/_urbi/foto-ampliar.php?ficheiro=468cult_mouco_chcb.jpg&codigo=5577

Anónimo disse...

por mim até se pode rererererecandidatar 1000000,o que ele não vê é 1 só voto meu

Anónimo disse...

O autarca do PS quando presidente da Câmara não conseguiu fazer nada porque foi barrado pelos detentores do poder, estes grupos secretos que decidem os destinos do concelho.
Sob Carlos Pinto a Covilhã foi de mal a pior. Temos mais ruas asfaltadas mas pior qualidade de vida. Temos jardins e canteiros de pedra. Jardim de pedra é contra a própria definição de jardim. Temos montes de apartamentos para vivermos empilhados uns sobre os outros. Estamos no campo e não no meio de uma metrópole. Temos espaço para vivendas sem necessidade de estarmos comprimidos sem espaço desta maneira. As conveniências públicas são complicadas e com limitações desnecessárias.
Temos montes de semáforos que além de desnecessários atrapalham-nos a vida. Estar à espera frente a uma luz vermelha em uma rua deserta, faz algum sentido? Temos montes de complicações desnecessárias, não conseguimos ir de um lugar a outro sem andarmos às voltas. A Covilhã tornou-se ainda mais hostil e inacessível. Os actuais líderes da Câmara querem reavivar um centro antigo que além de ter difícil acesso, não tem espaços para estacionar e nos poucos que havia colocaram proibição e polícia a dar multa. Querem reavivá-lo mas não vão para lá viver...
Construir ou fazer obras na Covilhã? Conheço gente que ficou 4 anos à espera da Câmara aprovar a obra que queriam realizar em sua casa, a casa onde moram, onde vivem e que não é uma casa pública. Vivemos sob uma ditadura disfarçada em democracia.
É para isso que queres que esse grupo que tem o poder político continue com ele? Bem, alguns beneficiam-se do que aí está.... Não é para todos...
Se o PS não é alternativa, busquemos outra.